Vamos aprender uma nova língua, uma língua universal? Isso mesmo, vamos aprender a linguagem da química e através dela vamos poder nos comunicar com os químicos do mundo inteiro.


Como com toda língua, devemos iniciar pelo alfabeto. No caso da química, o alfabeto é composto pelos elementos químicos que compõem a Tabela Periódica. Cada elemento é designado por um símbolo. Normalmente, o símbolo lembra o nome do elemento. Por exemplo, cloro = Cl, carbono = C e oxigênio = O. Porém, alguns elementos são tão antigos que possuem o seus nomes em Latim, a língua universal dos cientistas daquela época, como, por exemplo, aurum (ouro) = Au, argentum (prata) = Ag, cuprum (cobre) = Cu e plumbum (chumbo) = Pb. Observe que os símbolos químicos sempre apresentam a primeira letra em maiúscula e a segunda em minúscula.


Símbolo do Magnésio
 
Agora que sabemos de que "letras" é composto o alfabeto, já podemos escrever as palavras que na linguagem química chamamos de fórmulas. As fórmulas químicas surgem quando unimos os elementos químicos de maneira a formar as substâncias.


Por exemplo, quando queremos dizer água usando a linguagem química, escrevemos a fórmula H2O.


O que será que significa esse índice numérico?


Ele indica a composição da substância. No caso da água, temos 2 átomos do elemento hidrogênio e 1 átomo do elemento oxigênio.


Já aprendemos o alfabeto e as palavras, mas falta aprender a escrever as sentenças. Como podemos fazer isso?


Na linguagem química, podemos associar as sentenças às equações químicas. Elas expressam por escrito o que ocorre em uma reação química; portanto elas devem representar o que ocorre antes e depois da reação. Por exemplo, para obter a água, o hidrogênio e o oxigênio têm que reagir.


Reação - Água
 
 

Vamos escrever isso na forma de equação química! Vamos lá.


H2 + O2 ® H2O
 

As substâncias que estão à esquerda da seta (H2 + O2) são denominadas reagentes e as que estão à direita (H2O), de produtos. A seta indica o sentido em que ocorre a reação.


Cartaz - Estados da Matéria
 

Olhe bem para a equação descrita acima. Você percebeu alguma coisa errada?


Pois é, tem, e nós vamos descobrir utilizando uma frase muito famosa que vai esclarecer este mistério.


Um químico francês muito conhecido chamado Lavoisier elaborou uma lei denominada "Lei da conservação da massa", que pode ser resumida em uma frase muito famosa:


"Na natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma."
 

Se nós aplicarmos essa frase na equação química da produção da água descrita acima, vamos observar que existem dois átomos de oxigênio no lado dos reagentes e apenas um no lado dos produtos, ou seja, um oxigênio ficou perdido. Isso significa que a equação não está completa, pois não obedece à Lei de Lavoisier. Como podemos solucionar esse problema?


Nós podemos multiplicar o hidrogênio por dois, assim teremos quatro hidrogênios, e, depois, multiplicarmos a água também por dois, ficando com duas águas.


Equação Química - Duas Águas
 


2 H2 (g) + O2 (g) ® 2 H2O (l)
 

Dessa forma conseguimos aplicar a teoria de Lavoisier! Portanto, podemos dizer que essa equação está balanceada, porque contém o mesmo número de átomos de cada elemento em ambos os lados da equação.


Vamos exercitar o que você aprendeu? Então click nos exercícios abaixo e mão no mouse para ver se você já está craque!


Exercício 1
Exercício 2

Texto: Dra.Renata M.S.Celeghini
Voltar  Próxima